Implantes Dentários

    Os implantes dentários são dispositivos fabricados em titânio (material biocompatível) que, inseridos no osso maxilar ou mandibular, comportam-se como raízes dentárias, capazes de suportar um ou mais dentes artificiais. Apresentam taxa de sucesso aproximadamente 98% e, tempo de osseointegração (cicatrização) de 21 dias a 6 meses (dependo do tipo de implante e local a ser instalado).

     Uma pessoa que faz uso de próteses totais (dentaduras) tem apenas 20% da capacidade de mastigação comparada a outra que possui todos os dentes. A substituição destas dentaduras por próteses fixas sobre implantes devolve aproximadamente 95% da capacidade de mastigação.Isto garantirá uma adequada trituração dos alimentos, reduzindo o esforço do estomacal e conferindo uma maior absorção dos nutrientes.

 
 
Enxertos ósseos

   Com a perda de um dente, o osso daquela região começa a diminuir  em altura e em espessura. Este processo é chamado "reabsorção óssea" e é que muitas vezes dificulta a instalação de um implante dentário. Nessas situações faz-se necessária a enxertia óssea (osso colocado em forma de bloco com a finalidade de devolver volume ao local). Mas de onde vem este enxerto?
Para realização desse procedimento temos duas opções:

1. Do próprio paciente - chamada de osso autógeno. Utilizado no caso de enxertos para poucos dentes. Podemos retirar da região posterior da mandíbula (na região atrás do siso) ou do mento (queixo). O procedimento não produz alterações estéticas da região doadora.  Quando a quantidade de osso é maior, como, por exemplo, no caso de um arco total que necessita de aumento de volume, utilizamos áreas doadoras extra-orais como osso da bacia (crista ilíaca) ou do crânio (parietal). Neste caso o procedimento é realizado no hospital sob anestesia geral e duas equipes atuam simultaneamente: o Implantodontista e o Ortopedista (que vai retirar o enxerto da crista ilíaca) ou Neurocirurgião (que vai retirar enxerto do parietal).

2. Banco de ossos - Esses ossos são adquiridos de entidades regulamentadas pelo Ministério da Saúde existindo um rígido controle de infecção em um processo pelo qual esse osso é desproteinizado e congelado para não induzir reação imunogênica devido a serem de pessoas que doaram seus órgãos. O bloco ósseo recebido é instalado nas regiões onde necessita aumento de volume e pelo fato de ser um osso não vital, demora mais tempo para incorporação não sendo, portanto indicado em todos os casos. 

3. Osso sintético - É utilizado em cirurgias para levantamento de seio maxilar. Os seios maxilares são duas cavidades pneumáticas (cheia de ar) localizadas lateralmente a cavidade nasal. É muito comum na região de molares superiores ocorrer uma diminuição na altura do osso, necessitando de enxerto no seio maxilar para permitir a instalação de implantes. 


 

Implantes dentários sem cortes - Cirurgia Guiada

    Atualmente, a reabilitação com implantes dentários é uma técnica consolidada e com altos índices de sucesso, sendo a primeira escolha de tratamento para áreas desdentadas. Embora a cirurgia  seja um procedimento seguro e com pouco desconforto pós-operatório, a busca pela excelência clinica gerou, nos últimos anos, grande interesse dos profissionais por cirurgias mais simples, rápidas e com menor morbidade para os pacientes, preservando-se o resultado favorável do tratamento.


    A cirurgia sem cortes/sem suturas (pontos), ou cirurgia guiada por computador, é um procedimento minimamente invasivo e planejado a partir de uma tomografia computadorizada. As imagens tomográficas são manipuladas através de programas específicos para Implantodontia, onde é possível realizar o posicionamento virtual dos implantes dentários em regiões mais favoráveis. A partir disso são construídos guias cirúrgicos precisos que irão possibilitar a colocação dos implantes dentários, sem cortes/sem suturas, exatamente nos locais determinados virtualmente.


   Os pacientes que se submetem a esta cirurgia se beneficiam pela diminuição do tempo cirúrgico; pela recuperação mais rápida; redução de desconfortos ocasionados pelos traumas de cirurgias convencionais; diminuição medicamentosa e anestésica, pois apenas uma pequena porção da gengiva é removida, não necessitando de sutura.

 

 Há 15 anos construindo belos sorrisos!!!